A ciência tem colaborado com o desenvolvimento humano em muitos aspectos, e a evolução dos métodos que possibilitam a realização do sonho de engravidar e formar uma família foram, sem dúvida os mais surpreendentes.

Eles surgiram quase como milagres, se desenvolveram a custo de muita pesquisa e anos de dedicação desses profissionais, e hoje, a Fertilização in Vitro está disponível em tantos caminhos que é natural que ocorra a duvida de qual a diferança entre os tratamentos de inseminação artificial e fertilização in vitro.

Por causa disso, apesar de parecerem semelhantes e soarem como a mesma coisa, há uma grande diferença entre Fertilização in vitro e a Inseminação Artificial. Diferença essa que evidenciaremos a seguir.

O que é a inseminação artificial?

A inseminação artificial é considerada um procedimento de baixa complexidade, capaz de solucionar dificuldades leves, relacionadas por exemplo, a endometriose leve ou alterações como o ovário policístico.

Como funciona a inseminação artificial?

O tratamento de inseminação artificial consiste basicamente, no deposito de sêmen, diretamente na cavidade uterina através de um cateter. A paciente aguarda em posição ginecológica, enquanto o profissional realiza esse procedimento.

O processo deve ser feito no período em que a mulher está ovulando, e por isso é natural que seja recomendado o uso de medicamentos injetáveis, com a finalidade de estimular a ovulação.

Os espermatozoides empregados no procedimento são quase sempre coletados através de masturbação. E por isso, é aconselhado que o homem se mantenha em abstinência sexual de três a seis dias antes da coleta do material.

O material colhido é então levado ao laboratório e analisado cuidadosamente para possibilitar a separação dos espermatozoides de melhor qualidade.

Procedimento de fertilização in Vitro
Imagem Shutterstock: Procedimento de Fertilização in Vitro

O que é FIV?

Já a fertilização in vitro, é um procedimento considerado mais complexo, pois envolve um trabalho laboratorial mais minucioso.

De forma resumida trata-se da supervisão do desenvolvimento do embrião em ambiente externo ao útero, de modo a garantir um resultado mais positivo ao tratamento.

Como a fertilização in vitro é realizada?

A princípio acontece o estimulo da ovulação com a ajuda de medicamentos específicos. O médico conta com o apoio do equipamento de ultrassonografia para realizar a coleta dos óvulos, que são fecundados por material genético do pai ou doador.

Os óvulos usados são analisados e selecionados, e o mesmo acontece com os espermatozoides, que então são introduzidos diretamente dentro do óvulo através de um cateter especial.

Esse material, então chamado de embrião, é separado e permanece em período de cultura por alguns dias, sob monitoramento constante. Cada fase do desenvolvimento é cuidadosamente assistida.

Quando a FIV é indicada?

A Fertilização in Vitro (FIV) é indicada para casos onde sejam constatadas alterações importantes, nas tubas uterinas, óvulos, sêmen e etc.

As chances de sucesso da FIV variam de acordo com cada caso, mas pode chegar a 60% para cada tentativa o que é bastante animador para quem busca realizar o sonho de engravidar.

Mas, afinal. Qual a diferença entre FIV e Inseminação Artificial?

A principal diferença entre inseminação artificial e fertilização in vitro está na técnica usada e o grau de complexidade, ou seja, na FIV o embrião é gerado fora do corpo feminino, o que torna o tratamento mais complexo, mas mais promissor, enquanto na inseminação o óvulo é fecundado dentro do corpo feminino. A inseminação artificial é um procedimento mais simples do que a FIV. Basicamente a inseminação artificial consiste em diminuir o caminho percorrido pelo espermatozoide até o óvulo.

Como se pode ver, em ambos os casos há similaridades e diferenças. Mas somente um profissional médico pode indicar o melhor caminho para cada casal. O melhor mesmo é procurar um profissional e discutir abertamente sobre as suas expectativas e dificuldades e certamente ele poderá te auxilar da melhor maneira.