Anemia: Causas, Sintomas e Tratamentos


glóbulos vermelhos anemia

O que é anemia?

Anemia é a falta de capacidade da hemácia de fornecer oxigênio suficiente aos tecidos, seja pela redução do seu tamanho, do número ou da quantidade de hemoglobina que é transportada no sangue.

Simultaneamente, ocorre um transporte inadequado de dióxido de carbono dos tecidos até os alvéolos pulmonares. A hemoglobina é uma hemeproteína encarregada de transportar o oxigênio e o dióxido de carbono.

O que causa anemia?

Via de regra, a anemia ocorre por deficiências na formação da hemácia ou eritrócito na medula óssea por excessiva destruição ou perda dos glóbulos vermelhos.

Existem mais de 400 tipos de anemia e diversos fatores que a provocam. A produção de glóbulos vermelhos é um processo complexo que requer a presença de fatores nutricionais como vitamina C, B2 e B12, ácido fólico, ferro, cobre, aminoácidos e hormonais.

Quando a dieta de uma pessoa não contém a quantidade suficiente desses nutrientes, a formação de eritrócitos pode diminuir, não só na sua quantidade mas também no seu tamanho, o que causa a anemia, por isso muitos médicos também recomendam dietas especiais para gestantes.

A deficiência de ferro, que pode ser observada em mulheres em idade fértil com excessiva perda de sangue durante os períodos menstruais, gerando glóbulos com menor quantidade de hemoglobina e, consequentemente, de menor tamanho (anemia ferropênica microcítica).

A vitamina B12 é essencial para a formação dos eritrócitos. Apesar de essa vitamina estar presente em diversos alimentos (tais como laticínios e ovos), para que ela possa ser absorvida deve existir uma substância produzida pelo estômago denominada fator intrínseco. A deficiência genética desse fator produz a anemia perniciosa; outras moléstias que impedem a correta absorção da vitamina B12 (síndromes da má-absorção, doença de Crohn, etc) geram um tipo de anemia denominada megaloblástica.

As hemácias têm uma vida média ativa de 120 dias: após esse tempo, são capturadas por órgãos como o baço, o fígado ou a medula óssea, encarregados de sua destruição.

Nas pessoas que sofrem de certas doenças genéticas, os eritrócitos apresentam fragilidade excessiva ou alguma outra alteração que os torna vulneráveis. Quando a medula óssea não é capaz de compensar essa destruição acelerada de glóbulos vermelhos, ocorre uma anemia classificada como hemolítica. As infecções, os fármacos, as deficiências genéticas e as doenças auto-imunes também podem produzir anemias hemolíticas.

Quais os sintomas da anemia?

Quando a anemia é moderadamente grave, os sinais e sintomas podem incluir:

  • Palidez da pele e das mucosas (lábios, conjuntivas, gengivas, etc);
  • Fadiga;
  • Fraqueza;
  • Desmaios;
  • Dor de cabeça;
  • Dificuldades respiratórias;
  • Falta de fôlego;
  • Formigamento nos pés e nas mãos;
  • Taquicardia.

Há pessoas que vivem com anemia a vida toda de forma natural, sem que seja um problema em sua vida.

Como saber se tenho anemia?

Um hemograma fornece informação sobre o número de eritrócitos, o seu tamanho e o conteúdo de hemoglobina. Entretanto, a observação no microscópio de uma extensão de sangue permite identificar estruturas anormais na hemácia, que podem indicar o tipo de anemia.

Em certas variedades de anemia, como a megaloblástica, também se observa aumento no tamanho dos granulócitos e das plaquetas.

Outras determinações que complementam esse estudo são a determinação do ácido fólico, do ferro (e das concentrações de suas proteínas de transporte e armazenamento), do fator intrínseco, da vitamina C, etc. Para diagnosticar outros tipos de anemia, devem ser realizados estudos especiais da estrutura da hemoglobina.

Existe tratamento para anemia?

Quando a causa da anemia é uma deficiência nutricional, a anemia pode se reverter com uma dieta adequada ou com o uso do suplemento necessário.

Quando ocorrer uma forte hemorragia, deve-se realizar uma transfusão e localizar sua origem para solucionar o problema. Nos casos provenientes de alterações genéticas, trata-se de evitar a crise de anemia e controlar os sintomas.

Deixe um comentário