Sinusite: o que é, causas, sintomas e tratamentos.


MUlher com sintomas de sinusite

A sinusite é uma inflamação da mucosa dos seios da face, região do crânio composta por cavidades ósseas ao redor do nariz, maçãs do rosto e olhos.

A doença pode ocorrer devido a uma infecção, quadro alérgico ou qualquer fator que prejudique a correta drenagem de secreção dos seios da face.

O nome mais conhecido e utilizado para esse problema é rinossinusite, pois o processo inflamatório ataca tanto a mucosa dos seios da face como a mucosa nasal.

A sinusite tanto pode ser gerada por agentes infecciosos, como bactérias, fungos e vírus, quanto por fatores alérgicos. Poeira, choque térmico e cheiros fortes são elencados como desencadeadores da rinopatia alérgica.

Existem ainda casos mais raros que provocam a sinusite, como a presença de um tumor.

Quais são os Sintomas da Sinusite?

A sinusite ocorre quando há obstrução nasal ou secreção nasal associados a pelo menos um dos sintomas: pressão ou dor facial; redução ou perda do olfato; relacionado a alterações tomográficas ou evidenciadas por exame.

Estes são os principais sintomas que apontam que você pode estar sofrendo de sinusite.

Outros sinais e sintomas da sinusite podem incluir:

  • dor de ouvido;
  • dores no maxilar superior e dentes;
  • tosse, que pode ser pior durante a noite;
  • garganta inflamada;
  • mau hálito (halitose);
  • fadiga ou irritabilidade;
  • náusea.

Os sinais e sintomas da sinusite crônica não são tão parecidos com os à sinusite aguda, pois nos quadros crônicos a tosse é um dos sintomas mais comuns, acompanhada por dores de cabeça e a febre raramente aparece.

Isso porque a sinusite aguda é uma infecção temporária dos seios frequentemente associada a um resfriado.

Já a rinossinusite crônica corresponde a um processo inflamatório com duração prolongada (maior que 12 semanas) podendo ainda ser classificada em rinossinusite crônica com polipose e rinossinusite crônica sem polipose.

Principais Causas da Sinusite Crônica

As causas mais frequentes de sinusite crônica envolvem: pólipos nasais (crescimentos de tecido na área que podem bloquear as passagens nasais ou seios); reações alérgicas, relacionadas a outras doenças alérgicas; desvio de septo nasal (condição em que a parede entre as narinas não está em linha, gerando um bloqueio); trauma na face; doenças que afetam a imunidade, como complicações de fibrose cística, refluxo gastroesofágico, AIDS e outras doenças associadas com o sistema imunológico podem resultar na obstrução nasal; infecções respiratórias; doenças que limitam o movimento dos cílios dos seios nasais, como a síndrome de Kartagener ou a síndrome dos cílios imóveis; alterações de altitude (voar ou mergulhar); tabagismo; infecções odontológicas que causem obstrução dos seios nasais.

Como é Diagnosticada a Sinusite

O diagnóstico da sinusite é especialmente clínico, ou seja, por meio da conversa com o médico e exame físico otorrinolaringológico geral, é possível realizar a maioria dos diagnósticos. Você pode ter vários episódios de sinusite aguda com duração menor que 12 semanas antes de desenvolver sinusite crônica.

Alguns exames podem ajudar no diagnóstico de sinusite: endoscopia nasal; exames de imagem; culturas nasais e testes de alergia.

Se o médico suspeitar que a doença seja causada por alergias, um teste de alergia de pele pode ser recomendado. São exames que auxiliam a detectar o alérgeno responsável por sua sinusite.

Tratamento para Sinusite

Alguns tratamentos são recomendados para ajudar a aliviar os sintomas da sinusite. Estes incluem: uso de solução salina (mistura de água e sal), que ajuda a dissolver as secreções nasais; corticoides nasais; corticosteroides orais ou injetáveis; descongestionantes; antibióticos e, em alguns casos específicos, cirurgias para sinusite.

A sinusectomia ou cirurgia para sinusite é indicada apenas para pacientes diagnosticados com sinusites de repetição, sinusites crônicas, polipose nasal ou em casos de tumores nasais.

A sinusite costuma causar muito desconforto, portanto, fique atento a esses sinais e procure ajuda médica o mais rápido possível.

Deixe um comentário